.Convidada.

Registro: 14/09/2018
E reputemos perdido o dia em que não se dançou nem uma vez! Nie ———- Muita saudade! Férias
Pontos190Mais
Próximo nível: 
Pontos necessários: 10
Último jogo
Dados

Dados

Dados
4 dias h

————Saudações, Visionários!

15/04/2019       

Bom dia! Em nossa vida, neste mundo, é este o único "desafio": a libertação. Se, interiormente, não há liberdade, logo  começa  o caos,  começam  as oposições e indecisões, a falta de clareza, a falta de profundo discernimento  e, obviamente, tudo isso se manifesta no exterior. Pode-se viver em liberdade neste mundo sem pertencer a nenhum partido político, nem comunista nem capitalista, sem pertencer a nenhuma religião, sem aceitar, nenhuma autoridade externa? Decerto, é necessário observar as leis do país (manter-se à direita ou à esquerda da estrada quando se está conduzindo um carro), mas a decisão de obedecer, de acatar as prescrições, parte da liberdade interior. É este, e nenhum outro, o problema central.
Nós, entes humanos, não somos livres, levamos uma pesada carga de condicionamento, imposta pela cultura em que vivemos, pelo ambiente social, pela religião, etc. Assim, visto que estamos condicionados, somos agressivos. 
Perguntamos:  É possível  sermos livres? Podemos nós, na situação em que nos encontramos, condicionados, moldados por tantas influências, pela propaganda, pelos livros que lemos, pelo cinema, o rádio, as revistas, tudo isso a martelar-nos e a moldar-nos a mente, podemos nós viver, neste mundo, completamente  livres, não só conscientemente,  mas nas raízes mesmas de nosso ser? É este,  assim me parece o desafio, o problema único. Porque, se não somos livres, não há amor."
(Jiddu krishnamurti)


70661854.jpg