dulcor

 
Registro: 30/09/2007
Pontos155Mais
Próximo nível: 
Pontos necessários: 45
Último jogo

E o Luiz Bacci, hein?

18/02/2020       

“Luiz Bacci, do Cidade Alerta, revela ao vivo a uma mãe que a filha foi assassinada”

Segundo o portal Folha, “O Cidade Alerta estava cobrindo há dias o caso do desaparecimento de Marcela, 21, que estava grávida. No programa desta segunda-feira (17), o apresentador Luiz Bacci entrou ao vivo para falar com Andrea, mãe da jovem, que torcia para que a filha estivesse bem...”

E então deu a notícia por meio do advogado do suspeito, mas claro que usando termos típicos do tipo de jornalismo que o apresentador é caracterizado: "A senhora quer mesmo saber as novidades?", "Vou precisar que a senhora seja muito forte porque ele vai falar com a gente ao vivo".

Esse é o tipo de jornalismo que o povão assiste. O jornalismo de sensacionalismo, semelhante aos programas de auditório sensacionalistas de fim de semana, ambas atrações muito recorrentes em tvs de canais abertos. Luiz Bacci e Rodrigo Faro são apresentadores desse tipo de atração, respectivamente.

No meu ponto de vista, um programa de auditório e de jornalismo (sensacionalistas), bem como toda a grade de programação da tv aberta, é feita sob os moldes de quem assiste, ou seja, para o tipo de telespectador cujo perfil é refletido nas atrações. Logo, para os diretores desses programas, a atração é o espelho do seu telespectador.

Luiz Bacci é da escola de jornalistas como Marcelo Rezende, aquele que era melhor profissional quando cobria esportes e passou apresentar programas sensacionalistas em canais sensacionalistas.

Rodrigo Faro é da escola do nosso “saudoso” Gugu Liberato, o rei do sensacionalismo em auditório.

Programas sensacionalistas não medem esforços para captar audiência. A maneira covarde que o apresentador Luiz Bacci revela a morte de uma filha à mãe é um bom exemplo que pode se juntar ao do Gugu quando cobriu a morte do grupo Mamonas Assassinas e, por que não citar, a farsa da matéria do PCC.

Tudo isso em nome da audiência.

E depois reclamaram que o Rodrigo Faro fez sensacionalismo da morte do “saudoso” Gugu Liberato. Mas ele apenas estava exercendo o que aprendeu com o Mestre.

Vento que venta lá, venta cá, não é?

E tenho dito.

Que forças venham de não sei de onde para a quase impossível tarefa de confortar o coração de uma mãe que perde um filho.

E que o Luiz Bacci vá tomar no cu aprenda a respeitar as pessoas e suas tragédias.

 

FSdN

Horóscopo pessoal

18/02/2020       

De acordo com o Wikipedia, O horóscopo é uma espécie de diagrama que define as posições relativas dos planetas e dos signos zodiacais num determinado dia específico, geralmente definido como o do nascimento de uma pessoa.

Em explicação pessoal e livre, horóscopo são previsões baseadas no signo do indivíduo, este que varia de acordo com a data de nascimento da pessoa.

Mas nada disso importa porque eu estou aqui para ensinar como fazer o horóscopo de uma pessoa.

Antes de mais nada, faço saber a todos que não sou astrólogo, e o pouco que sei sobre os astros é que os planetas, principalmente a Terra, são redondos. Isso eu tenho certeza. Porque se não for, eu quero que os filhos da puta dos terraplanistas me expliquem, levando em conta que se a terra é plana se supõe que todos os demais planetas também são, que raios de coincidência é essa que fazem todas as estrelas e tudo mais que brilha no universo estarem exatamente todos virados com a superfície plana em direção à Terra durante a noite?

Bom isso é papo pra outra proza e vamos ao manual do horóscopo

Convença que é astrólogo

Nem precisa ser astrólogo para convencer de que é um. Basta usar um vocabulário próprio e afirmar com firmeza aquilo que supostamente você estudou, mas que no fundo somente eu e você sabemos que 'tu' não estudou porra nenhuma.

Palavras como ascendente, regente e nomes de planetas e dos signos não podem faltar, de preferência que se misture a porra toda. Se você falar com propriedade, nem mesmo um astrólogo de verdade vai ousar contestá-lo. Isso porque esse estudo de astrologia não faz sentido algum e ele sabe disso, mas não sabe que sabe e pensa que não sabe.

Por exemplo: Você pode dizer que “Áries entrou pela tangente em mercúrio, regeu sagitário e no final das contas isso significa que se você atravessar uma rua hoje, pode dar merda”

Eufemismo

Por falar em merda, eufemismo é muito importante. Uma previsão fajuta de horóscopo nunca pode ser agressiva. O exemplo acima é perfeito de como não revelar uma previsão. Então vamos mudar a frase e coloca-la no estilo de astrólogo.

“Áries entrou pela tangente em mercúrio, regeu sagitário e isso indica que o ariano deve evitar vias públicas que o submete a risco”

Capte leitores

Tenha em mente que existem 5 tipos de leitores de horóscopo:

- Pessoas que realmente acreditam nas previsões;

- Pessoas que não acreditam nas previsões, mas leem porque querem caçoar de quem acredita;

- Pessoas cujas vidas estão uma merda e tentam buscar na previsão de um horóscopo a positividade que lhes falta;

- Pessoas com algum problema mental que as faz acreditar que uma previsão sirva para todas aquelas pessoas que são do mesmo signo, sejam nascidas no mesmo dia, hora etc.

- O quinto motivo eu esqueci ou devo ter feito a conta errado.

Um bom exemplo para que todos esses leitores se satisfaçam com a previsão é dizer que “hoje os astros indicam que profissionalmente ocorrerá surpresas agradáveis que representam sucesso na carreira do ariano”

Enfim, na mesma previsão, quem acredita vai ficar feliz, quem não acredita vai rir de quem acreditou, quem tá na merda vai elevar o moral, e as pessoas com problemas mentais vão tentar observar se todos os arianos de fato vão ser promovidos em seus empregos.

Previsão que se adeque

Previsão bem sucedida não pode ser precisa. Nunca ninguém te deu os números da megasena, deu? Claro que não.

Previsão que se preze tem de ser enigmática de forma que se adeque a seja lá o que for acontecer.

Observe a previsão abaixo:

“Hoje será um dia de mudanças expressivas na vida do ariano. Mudanças capazes de impactos profundos”

Ou seja, pode morrer ou nascer alguém, você pode comer ou dar pra alguém, pode ser atropelado, pode ter uma diarreia, enfim, quaisquer dessas situações e muitas outras se encaixam na previsão. Mas se não acontecer nada, fudeu. Afinal, nenhuma previsão é perfeita.

Amor

Todo mundo busca ou já está envolvido com um problema o amor. Portanto, previsão que se preza tem de reservar um espaço para o amor.

Mas para este eu não vou citar nenhum exemplo para evitar que o Ministério da Saúde advirta.

 

FSdN

 

Aqui do RJ ouvi lá longe, quase do outro lado do Brasil a voz do George Michael, e bateu uma saudade. Deixo aqui uma música dele que gosto muito da sonoridade e letra, cuja tradução não vou postar porque não encontrei vídeo com ela, mas está no google.

 

https://www.youtube.com/watch?v=ijzKZXjVV28

 

 

Papo desconexo – Fator RJ

16/02/2020       

Domingo é dia de beber, para quem gosta, é claro.

Como acabei de chegar do plantão, não tem essa de café da manhã.

O desjejum é um copo da gelada, pra pegar meu fígado desprevenido, virgem, e dá logo a tonteira de impacto. Eu gosto assim, de quebrar protocolos.

Não gosto de sair pra beber. Prefiro beber em casa, é mais vantajoso.

Se eu ficar bêbado, posso cair a poucos metros, na cama, ao invés de cair pelo meio da rua e fazer vergonha.

Se der vontade de ir ao banheiro, é logo ali, e posso fazer pipi sentado, sem medo de contaminação ou de errar aquele bocão do sanitário que a maioria dos homens erram quando estão apertados.

E o mais legal de beber em casa é poder ficar diante do PC e escrever esse monte de merda.

E por falar em merda, o Rio de Janeiro comemora carnaval de 50 dias, mas não faz nem uma semana que deu um temporal e a maioria das ruas da cidade, principalmente do centro, ficaram alagadas. Daí a gente chega a conclusão que coronavírus é para os fracos, porque se não pegamos uma cólera, leptospirose, hepatite, febre tifoide ou qualquer outra doença com aquela água imunda, não vai ser o coronavírus que vai matar o carioca, que já sobrevive com atendimento hospitalar precário e falta de segurança num estado em que os bandidos são policiais, por meio de milícias.

E por falar em milícia, hoje li uma reportagem que abordava este assunto.

Dizia que um dos principais motivos para que a violência e as milícias prosperarem é a má remuneração de policiais, visto que são eles os principais fundadores e integrantes dessa “instituição” criminosa.

O curioso é que na hora de encarar o bandido, o policial alega que ganha pouco pra arriscar a vida. Mas na hora de tomar a comunidade dos bandidos para perpetuar o comércio clandestino de serviços como água, telefonia, tv a cabo, energia elétrica e segurança, ele consegue se armar e organizar, e a gente finge que não sabe de onde ele tira recursos pra isso.

Imagina a cena. Eles batem na sua porta e ditam “oferecemos proteção”, e você responde “contra quem?”, e eles “nós mesmos”.

Enquanto isso os cidadãos do RJ pulam carnaval desde o dia 12 de janeiro.

É, a bebida está fazendo mal, mas se fosse pra me fazer bem, eu tomava remédio.

E se ela deixar ou inspirar, voltamos a qualquer momento com o papo desconexo.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=_R6tXhxUu8I

Data que não tem data

14/02/2020       

Eu desejo a você que esta data o lembre que o amor não tem data.

E que todos nós continuemos tolos em definir aquilo que é indefinível: o amor.

O amor é integral, não tem dia, hora ou local para ser amor.

Que você ame despido de vaidades, porque no amor não existe um melhor que o outro. Senão, estar juntos não faria sentido.

No amor também não cabe a mediocridade, mas dignidade, pois o amor não existe para fazer reféns. Aliás, essa é a maior mácula já atribuída ao amor.

Engana-se quem pensa que o amor é fácil.

Exige entrega total.

Logo, amor com reservas está fadado ao fracasso.

Ainda que seja ação, nem sempre o amor é verbo conjugado ao vácuo. Conjugue menos o amor, e ame mais.

Ao amar, lembre-se que às vezes é preciso que um aperte o passo e o outro pise um pouco no freio, porque o amor é isso, é quando ambos encontram um jeito para estabelecerem o ponto de encontro. Isso mesmo, no amor não cabe um a frente do outro, sim presentes de si. Caminham lado a lado.

Respeite as diferenças, tendo em mente que o que nos atrai no outro são suas virtudes, não seus defeitos.

Se dê a oportunidade de viver através do outro, porque amar é enxergar nele tudo aquilo que até então você via em si mesmo apenas como hipótese.  

O amor é tudo isso... ou nada disso. Por isso é amor.

Não seria amor se tivesse algum sentido lógico e, principalmente, se não fosse peculiar a cada um.

Por isso, ame bastante, sem frescura. Porque é o seu jeito de amar que é o certo, até que provem o contrário.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=BXGp_C7-3Mc

9 de fevereiro

09/02/2020       

Reflexões de “etiqueta”

Gosto de observar as pessoas, seus trejeitos, comportamento...

Essas observações contribuem para meu processo de formação, modulando como eu quero ser e, principalmente, como eu não quero ser.

A seguir listei alguns dentre muitos comportamentos que repudio e, portanto, não quero pra mim.

Ignorante respondendo

O ignorante consegue encontrar dificuldade em reagir até mesmo diante de uma gentileza.

Um bom exemplo é quando alguém lhe oferece algo que ele vai negar, como uma simples bala. Qualquer pessoa educada responderia “não, muito obrigado”. Para o ignorante não basta negar. Geralmente ele reage a uma gentileza como se o gentil estivesse lhe pedindo um favor. Por isso não é de se estranhar que ele dê uma resposta como “não, tá maluco? Por acaso tenho cara de quem quer estragar os dentes?”. Veja que ele exerce o modo hard de ignorância quando não basta negar. Ele precisa criticar quem está sendo gentil por meio do produto da gentileza.

Saiba ser recebido

Acha difícil receber as pessoas na sua casa?

Saiba que ser recebido exige muito mais postura e educação.

O que não falta por aí são pessoas fofocando a respeito de tudo que repararam quando esteve na casa de alguém.

Reconheçamos que é impossível não reparar o lar de alguém que nos convida a adentrar. Mas sair por aí contando tudo a todos, além de falta de educação, é uma atitude escrota.

Abrir a porta de sua casa para alguém é um dos gestos que mais expressam amizade e confiança. A pessoa está simplesmente lhe convidando para entrar onde ela vive, se despindo de quaisquer desconfianças ao compartilhar uma das coisas mais sagradas: o lar. Isso deveria ser de uma honra e privilégio tão grandes que sobreporiam qualquer necessidade de se comentar o que foi reparado naquele ambiente, ou melhor, fazer disso um segredo ou um símbolo do privilégio de ser convidado.

Portanto, saber ser recebido se trata muito mais de deixar o anfitrião à vontade do que o convidado.

Não gostou? Faça melhor

Em todo canto existe aquele personagem inerte que, além de não fazer nada, sempre está atento e disposto a criticar quem faz alguma coisa.

Seja na família, no trabalho, até mesmo nas redes sociais, o sujeito sempre estará presente para polemizar algo que uma pessoa fez por meio do nada que ele [não] fez.

Não contribui com nada e sobrevive à margem de quem cria. É o que eu chamo de gozar com o pau dos outros.

9 de fevereiro de 2020

9 de fevereiro é uma das datas mais marcantes na minha vida, e não é porque a data do meu aniversário também é 9 de um outro mês.

E o mais gostoso é o fato de a importância desta data pertencer somente a mim.

Todo ser humano tem seus segredos, e este é meu até o dia que deixar de ser importante, se é que esse dia vai chegar.

Portanto, cabe um brinde, uma comemoração singela, ainda que com um simples sorriso de canto de boca.

Brindo à única dor que é fruto de algo bom.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=gfnvPUV9fco

Amantes...

28/01/2020       

Não consigo entender as pessoas que têm amantes.

Não que eu seja santo, mas a verdade é que sou extremamente preguiçoso para certos tipos de coisas, e aderir amantes é uma delas.

Por mais que existam diversos clichês a respeito do relacionamento íntimo entre duas pessoas, a verdade é que, querendo ou não, seguimos uma cartilha para que possamos conservar a relação a dois, e essa cartilha não é nada fácil.

Quem assume uma relação como compromisso sério, a primeira coisa que é preciso saber e aprender é que uma relação a dois não é brincar de casinha.

Quem ama precisa prestar todo tipo de assistência ao parceiro, no que inclui bastante conversa, cuidar do bem estar físico e psicológico um do outro, atender às necessidades do relacionamento como atividade sexual, sustento e saúde, e tudo isso sem contar com a hipótese da relação ter rendido frutos, como filhos e bens materiais.

Quem trabalha, quando não está se dedicando à vida profissional, reserva boa parte do tempo que resta ao parceiro e à família que com ele(a) constituiu.

Agora imagina a pessoa achar que isso não é o bastante e resolve ter um(a) ou mais amantes.

Só pode ser masoquista por querer duplicar ou triplicar seus problemas, principalmente quando se trata daquele sujeito que sofre da síndrome do “macho-alfa”, que sai por aí comendo todo mundo, sujeitando a relação e a família a todo tipo de risco.

Para esse tipo de garanhão muitas vezes nem se trata de necessidade ou de dificuldade de “resistir às tentações”. Ele apenas quer se sentir o fodão para contar aos amigos que tem mais de uma mulher, quando lá no fundo eu duvido que ele esteja dando conta de uma.

É tão filho da puta que vai usar o discurso da “carne fraca” quando na verdade não se trata de mulher dando sopa e sim porque ele quem foi atrás dela.

Só pode ser maluco ou quer o suicídio. Além da trabalheira de se relacionar com duas ou mais mulheres, tem de ser astuto psicologicamente para mentir para todas. É um inferno físico e psicológico.

Prefiro continuar solteiro e me envolver quando alguém realmente valer a pena, pois a verdade é que tem de ser uma pessoa muito especial para que eu permita interromper a excelente companhia que tenho de mim mesmo.

Enquanto isso dou risada das histórias de amigos e colegas de trabalho que narram suas aventuras com amantes. Eles nunca têm tempo e disposição para cuidar dos próprios caprichos, aliás, mal se dão ao luxo de tê-los, uma vez que estão ocupados demais assumindo a gestão de relacionamentos fadados ao fracasso.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=HjK30nhy7CU

Coisas de whatsapp

26/01/2020       

Por esses dias eu recebi o vídeo (no fim deste post), um pouco engraçado por sinal, no qual uma mulher questiona o que é sambiquira.

Ainda que um vídeo tenha certo propósito, eu gosto, aliás amo, analisar os detalhes, circunstâncias e tudo mais, principalmente quando se trata de algo compartilhado pelo WhatsApp ou quaisquer outros mensageiros populares onde se difunde a oscilação entre tudo que é de engraçado e o ridículo popular.

Sem mais delongas, vamos à análise do vídeo.

Brasileirismo ou “popularismo”?

De cara, a protagonista do vídeo deixa evidente o poder que a propaganda tem sobre ela e boa parte das pessoas.

Isso porque, quando se trata de “promoção”, pouco importa o que está sendo adquirido.

Ela compra a sambiquira apenas porque está na promoção, ignorando do que se trata e de qual parte do galináceo ela pertence.

Cú do galináceo

Seja de galinha, galo ou frango, a sambiquira é a parte traseira do galináceo, localizada no dorso.

Nem por isso significa que seja a cloaca do animal, ou seja, o ânus (vulgarmente chamado de “cú”), cavidade por onde saem a urina e fezes da ave.

Clareza do anúncio

Veja que a nossa protagonista reivindica uma clareza no anúncio, questionando o fato da descrição “sambiquira” não ser substituída por “cú de frango”.

Ora, “cú” é palavrão. Imagina descrever um produto através de um palavrão.

Então por que não “bunda de frango”?

Embora não seja palavrão, a palavra “bunda” não se enquadra na linguagem formal empregada na norma culta de nosso idioma. É um termo coloquial.

Logo, usar “sambiquira” é muito mais uma questão de não ser deselegante do que ser claro.

Aliás, não se trata de falta de clareza e sim de falta de conhecimento generalizado, visto que alguém que frequenta supermercados deveria conhecer os produtos ofertados ou, na dúvida, ignorar tudo que não conhece. Afinal, comprar algo apenas porque está na promoção, ainda que desconheça o produto, não tem sentido algum.

“Cú” é bom

Na boa, eu asseguro que a sabiquira é uma das melhores, ou senão a melhor, parte do galináceo.

Recomendo na brasa, acompanhado por uma cerveja bem gelada (que não seja a Belorizontina).

Lá no fundo...

O objetivo do vídeo é ser engraçado por meio do desconhecimento, seja do termo, da palavra e/ou da anatomia do animal, principalmente quando se refere a um palavrão que tenha conotação sexual.

Enfim, é um vídeo bem típico do whatsapp ou qualquer outra rede social.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=yFMvhM-1SeY

Nos tempos atuais

07/01/2020       

E se Jesus voltasse?

Imagina Jesus Cristo nos tempos atuais.

Vamos imaginar que ele resolvesse voltar para nos salvar de nós mesmos, visto que o ser humano submeteu à própria e as demais espécies às suas vaidades.

Ao contrário dos ditos irracionais, nós humanos, ao invés de nos adaptar ao ambiente e suas mudanças, adaptamos o ambiente aos nossos caprichos.

Daí surge Jesus, como única solução para a salvação.

Ele tentaria, por meio da ‘verdadeira’ palavra, persuadir o ser humano a despeito dos próprios e verdadeiros valores.

Talvez não reconhecêssemos Jesus porque tudo que temos de sua imagem é especulação. Duvidaríamos de sua identidade se ele não surgisse como um homem de cabelos longos castanhos, olhos claros, barba por fazer e usando uma túnica.

Jesus negro? Nem pensar!!! Heróis negros somente àqueles ligados às causas racistas.

Jesus mulher? Pior ainda. Seria acusada de feminismo.

Se preciso fosse, e com certeza seria, Jesus promoveria seus milagres, o que certamente seria a sua tragédia.

Se transformasse água em vinho, a sociedade atual, absorvente da cultura do wifi, o acusaria de promover o alcoolismo.

Se andasse sobre as águas, seria ilusionista, mágico, feiticeiro, qualquer coisa, menos Jesus.

E se empregasse seus discursos fantásticos, seria acusado de político, não antes de ser assediado por partidos.

Ao negar afiliações, coligações e doações de campanha, os políticos o acusariam de charlatão, cujos discursos são capazes de fazer lavagem cerebral nas pessoas. Partidos políticos usariam o horário eleitoral gratuito nos meios de comunicação para manchar a imagem de Jesus porque é isso que os políticos sabem fazer.

Os tempos modernos não permitem que Jesus seja crucificado, mas com certeza ele seria exilado ou morreria de repente e por causas “desconhecidas”, e tudo isso diante dos olhos e atitudes omissas dos cristãos, porque estes entenderam que a “palavra” os disse para não se virar contra seus opressores, e sim oferecer a “outra face”.

Só então, diante da morte, Jesus viraria santo. Sabe por quê?

Porque o santo só é santo quando morto. Não existe santo vivo.

Matamos nossos possíveis salvadores para depois canonizá-los porque somos idiotas o suficiente ao preferir pedir a um morto do que a um vivo.

A crença na volta do Cordeiro de Deus, bem como a crença a seus e/ou toda forma de milagre são sustentadas justamente pela impossibilidade de ambos ocorrerem, e talvez essas improbabilidades sejam o principal alicerce da própria crença no Alto.

Será mesmo que Jesus voltará?

Quem garante que ele já não tenha andado novamente por essas terras e que nós não o reconhecemos?

O Criador não teria nos feito racionais para que pudéssemos lidar com nossos percalços ao invés de mediocremente insistir por uma salvação que venha do Alto como solução dos problemas cuja maioria (ou todos) nós mesmos criamos?

É inacreditável que o ser humano, dotado de raciocínio, não consiga assumir a gestão do meio em que vive, respeitando a natureza e toda forma de vida, e seja incapaz de impedir desigualdades sociais.

Isso que me leva à dúvida se realmente fomos agraciados com o raciocínio ou punidos com ele.

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=V_XW1bIfLvI

Cadeia não é lugar para corrupto

19/11/2019       

É cada coisa que se lê nesses veículos de comunicação parciais de forma que fica bem claro o quanto um jornalismo de opinião pode ser nocivo diante de uma sociedade cuja maioria de seus cidadãos é incapaz de desenvolver as próprias conclusões de certos assuntos, principalmente político.

No site UOL, por meio da FOLHA DE SÃO PAULO, o jornalista Hélio Schwartsman intitula sua coluna de hoje:

Cadeia para corruptos?

A sociedade não ganha nada encarcerando pessoas que não representem perigo físico a outros cidadãos

 

Esse título já seria o bastante para causar certa revolta.

E como se não fosse o bastante, logo no início da coluna o autor já desmotiva o leitor a seguir com a leitura:


Nunca achei que a cadeia fosse lugar para Lula e fico feliz que ele tenha sido solto. Daí não decorre que o considere inocente. Não dá para aceitar como ético o comportamento do líder político que, com forte influência sobre o governo, aceita de empreiteiros presentes no valor de várias centenas de milhares de reais. Se a lei não inibe esse tipo de atitude, é a lei que está errada...”

Segue o link da coluna completa:

https://www1.folha.uol.com.br/colunas/helioschwartsman/2019/11/cadeia-para-os-corruptos.shtml

É até compreensível que prisão não pune o corrupto de forma eficiente, ou seja, de maneira que possa sanar a vítima da corrupção. Isso caracteriza a falha na lei, e nesses aspectos estou de acordo com o colunista.

Contudo, a mesma deficiência é responsável pela motivação de prisões de corruptos.

Afinal, se a lei não consegue fazer o corrupto restituir o prejuízo que seu crime causou, vamos deixá-lo solto só porque seu crime não caracteriza que ele seja um perigo físico para a sociedade?

Prende-se o corrupto justamente porque não se consegue puni-lo pelo bolso.

Aliás, afirmar que um corrupto não oferece risco físico aos cidadãos é não levar em conta de que isso depende do ponto de vista.

Quando se observa, por exemplo, que muitas vidas se perdem nos hospitais públicos ou as inúmeras vítimas fatais da violência pública podem ser frutos da falta de investimentos em razão da corrupção, fica evidente que um corrupto pode sim representar um perigo físico aos cidadãos, e o pior, perigo físico em massa.

É preciso um jornalismo sério e imparcial, que ajude o cidadão a tirar suas próprias conclusões.

Tecnicamente, concordo com a colocação do colunista.

Mas quando ele começa a coluna dizendo que discorda que o Lula tenha sido preso e que fica feliz por ele estar solto, fica caracterizada a falta de imparcialidade.

E concordar com a prisão do Lula não tem nada a ver com ser direita ou esquerda, ser pró ou contra Lula ou Bolsonaro.

Hoje em dia, quando se está contra um, logo isso é interpretado como estar a favor do outro. Um engano criado justamente pela falta de discernimento a qual o mau jornalismo tem uma contribuição significativa.

 

FSdN

Que se danem, opsss... amem

17/11/2019       

Quando estou parado em frente ao trabalho, fumando meu cigarro, duas cenas que vejo com frequência são as pessoas passeando com seus cachorros ou casais de mãos dadas.

Um dia desses passaram dois homens de mãos dadas, provavelmente namorados.

As pessoas param o que estão fazendo ou falando para observar e cochichar.

Saio em minha defesa, porque eu não estava com ninguém e não fazendo nada que preste, pelo contrário. Mas só observei rs. Sou curioso e atento a tudo. As questões psicológicas, filosóficas e comportamento das pessoas me atraem. Observo tudo e todos.

Me veio um turbilhão de pensamentos na cabeça.

O primeiro deles é que a sociedade, independente de homens ou mulheres, é machista. Sim, mulheres são machistas também.

Eu mesmo acho estranho um casal de homens de mãos dadas, e imagino o beijo, o encontro da truculência, pois o homem por si só é truculento, a pele é diferente das mulheres, têm barba. A natureza é perfeita, contrasta características do sexo oposto para que um acrescente ao outro.

Mas o ser humano improvisa, porque ele foi criado para isso, do contrário não seria munido de raciocínio. de psicologia, personalidade... Que maravilha essas questões da vida não é? Portanto, homem com homem, mulher com mulher e tá valendo, por mais que possa soar estranho...

Mas o que eu estava falando mesmo?

Ahhh sim, que somos machistas, inclusive as mulheres, porque o que não faltou foi mulher cochichando entre si sobre o casal de homens passando de mão dadas.

E se eu perguntar se fosse duas mulheres andando de mão dadas? O impacto seria menor, até porque mulheres andam de mãos dadas independentemente se são namoradas ou não. É como falei. A delicadeza feminina que contrasta com a do sexo oposto.

Mas que um casal de homens causa mais estranheza do que um casal de mulheres, ahhh, isso com certeza. É aquele momento em que o machismo está incrustado na sociedade como um todo.

Quanto aos homens de mãos dadas? Se amam né...

Se todos tivessem um parceiro a quem amar, o mundo seria melhor.

Pessoas que têm um amor como parceiro significa que têm alguém para cuidar tão bem como de si mesmo. É um dos raros momentos em que o ser humano faz valer a máxima das escrituras em que propõe “amar o próximo como a si mesmo”. É uma ocupação que impede que as pessoas sejam entregues ao marasmo do supérfluo.

Quem ama tem menos tempo de cuidar da vida alheia, de encher o saco dos outros.

A vida e o meio ambiente em que nos encontrados muda a cada instante, promovendo novos pensares, novos pontos de vista.

A cada dia vemos uma metamorfose sustentando um Éden sempre contemporâneo. É a magia da vida.

Portanto, que se dane tudo e que se amem!

 

FSdN

 

 

https://www.youtube.com/watch?v=35GFFBFEGEU

Páginas: 2